Detalhe Notícia

02-06-2018
Com influência na voz

Aveiro recebeu a Conferência de Senhoras da Região das Beiras, que, pela primeira vez, realizou paralelamente uma reunião também para homens

 

O título expressa o tema de duas conferências – uma dedicada à mulher e a outra aos homens – que decorreu na Assembleia de Deus Pentecostal de Aveiro, no passado dia 16 de Abril. “Até que a voz me doa” e “Cristão como influência” foram os assuntos abordados nos referidos encontros.

Cerca de 300 mulheres marcaram presença nesta conferência, cuja coordenação esteve a cargo da Isabel Duarte, presidente da região das Beiras, que organizou mais esta Conferência das Beiras, juntamente com a colaboração da comissão existente nas Beiras, formada pelas esposas dos pastores em funções naquela região.

“Onde está o nome” foi o vídeo visionado, que deu início à conferência, após o que foi feita uma leitura bíblica, pela Irmã Isabel Duarte, centrada em Isaías 40:9.

Algumas irmãs em Cristo partilharam alguns dos seus dons: “Até que a voz te doa” foi uma poesia declamada por uma irmã de Águeda; um grupo fez uma representação; Joana, de Coimbra, apresentou uma actuação a solo, sob o tema “… para atravessar o mar é preciso pôr os pés na água…”; Fátima Malheiro apresentou o seu livro de poesia “Do nascer do Sol ao anoitecer” e avançou que, em breve, terá um novo trabalho editado - “Desafio”.

A Palavra de Deus foi partilhada por Eunice Pocinho, missionária na Alemanha, onde reside com o marido, que é pastor numa igreja local. Numa abordagem ao tema “Até que a voz me doa”, Eunice Pocinho tocou em áreas vitais que nos ensinam a chegar mais perto de Deus e a trazer Deus e a Sua influência para mais perto de cada um. Baseando-se em Hebreus 13:14 e 15, salientou que “o louvor não pode parar”, que cada um deve “fazer sacrifícios de louvor”, sabendo que temos muitas razões para louvar a Deus: “por Deus ser quem é”, “porque há poder no nosso louvor”, “porque louvor revela gratidão”.

Já na parte da tarde, Eunice Pocinho retomou a sua mensagem, lendo o Salmo 32 e frisando que “a nossa voz não se pode calar sobre aquilo que ele fez por nós”. Usando o exemplo da mulher samaritana, que reconhecendo Jesus, deixou tudo e foi anunciá-Lo, A oradora exortou a que cada um anuncie a Palavra de Deus, mesmo que se pense que alguém não a quer ouvir.