Detalhe Notícia

08-03-2018
“Nunca mais me afasto do caminho de Jesus”

Em dia de batismos, o que mais se ouviu na Igreja Pentecostal Assembleia de Deus de Aveiro foi que “Jesus é amor” e a promessa de seguir Jesus para sempre “Nunca mais me afasto do caminho de Jesus”. Esta foi uma das emotivas, porém genuínas, declarações feitas por uma das 12 pessoas que foram batizadas nas águas, no passado dia 18 de fevereiro, na Igreja Assembleia de Deus Pentecostal de Aveiro.
Luís Bastião, da Palhaça dizia ainda, antes de mergulhar nas águas, que “Deus é bom” e a emoção, o sentimento de gratidão e de amor por Deus eram bem presentes naquele momento especial. Um momento que foi reproduzido 12 vezes, com algumas particularidades, entre as quais Mário e Samuel Dias e ainda Helena, de Ílhavo, pai, filho e sobrinha, respetivamente. Um momento de entrega a Deus (com)partilhada.

Destaque ainda para o Pastor João Paulo Duarte, de Ovar, que teve a oportunidade de batizar a sua filha, Ester.

E se os 12 que tomaram a decisão de batizar-se, puderam afirmar a sua convicção de amarem Deus acima de todas as coisas, Carlos Silva, de Vale de Cambra verbalizou-o de uma forma clara: “Quero permanecer todos os dias com Ele [Jesus]. Sinto-me libertado”.

Uma libertação e liberdade claras que foram conquistadas para cada um de nós por Jesus. Tal como declarou o Pastor Jacinto Joana, na sua pregação, quando lembrou, citando João 1:19-34, referindo-se a Jesus: “Eis o cordeiro de Deus que tira pecado do mundo”. João Batista pregava no deserto, exortando ao arrependimento, “porque as
pessoas precisavam” dele, afirmou o Pastor, salientando que João Batista, como precursor de Jesus, “sabia o tempo em que estava a ministrar” e que logo que Jesus chegou, o seu ministério chegou ao fim para dar lugar ao de Jesus. Nesse momento, em que viu Jesus chegar, João Batista “pôde apontar que Jesus era o Cristo. João apareceu
para um tempo especial, para anunciar o Cristo”, disse o Pastor Jacinto Joana, frisando que “em Jesus há salvação”.

O pregador reiterou que o principal “ofício” de Cristo, tendo em conta que “uma coisa que Deus aborrece é o pecado”, é o de “tirar o pecado do mundo” e que Jesus, com a sua morte no Calvário, “reconciliou os homens com Deus”. “Jesus morreu pelos nossos pecados; Ele morre para a nossa vida”; “fez o sacrifício perfeito”, disse ainda Jacinto
Joana salientando ainda que “a Graça de Deus é algo que não merecemos”.

Lembrando que “a salvação está só em Jesus”, o Pastor frisou ainda, referindo-se ao momento em que aquelas 12 pessoas iam realizar o mandamento do batismo, que “não é a água do batistério que os vai lavar, mas o sangue de Jesus vertido no Calvário” e que “tudo o que separa o homem de Deus é anulado por Jesus”.

“Os nossos pecados fazem separação entre nós e Deus e só há uma forma de chegar a Deus – é através de Jesus”, afirmou ainda Jacinto Joana, sublinhando que “não há nada que nos possa impedir de obter esta reconciliação”. Frisou que consegue-se essa reconciliação através de Jesus, pela fé.

“Os pregadores falam aos ouvidos, mas o Espírito Santo fala ao coração”, disse ainda Jacinto Joana. E foi aos corações que Deus falou neste dia em que 12 pessoas foram batizadas e que outras duas aceitaram Jesus como seu Salvador. Um dia de festa e alegria, sem dúvida.