Detalhe Notícia

23-02-2018
Qual é a vontade de Deus?

Retiro de Carnaval teve por tema “Descobrir a Vontade de Deus”

Descobrir a vontade de Deus. Este era o tema e objectivo colocado aos participantes no retiro de Carnaval, promovido pela Igreja Assembleia de Deus Pentecostal de Aveiro e que decorreu, de 11 a 13 de Fevereiro, na Quinta da Fonte Quente, na Tocha (Coimbra).

Samuel Antunes foi o pregador convidado, que incitou os presentes a questionarem-se quanto ao que já fizeram quanto ao “risco” na tomada das suas decisões. “O que é que já fizemos com o nosso risco”, perguntou, salientando que o que cada um faz hoje, as suas decisões perante as oportunidades que surgem, afeta o seu futuro. Aludindo a I Timóteo 2: 3-4, destacou que “a vontade de Deus é que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade”, frisando ainda que tal afirmação da parte de Deus significa que “ninguém é excluído” e que a salvação “é uma decisão, uma escolha”.

Samuel Antunes salientou que Deus quer que cada um aceite Jesus como seu Salvador, que seja batizado nas águas e que receba o batismo do Espírito Santo.

“O ser salvo é um princípio, não pode ser um fim”, realçou o pregador, que citou Hebreus 3:14 para defender que “é muito importante aceitar Jesus, mais ainda o é mais permanecer salvo”. Defendeu ainda que “Deus quer que sejamos fiéis a ele todos os dias, quer vivamos muitos ou poucos anos”.

Aos participantes no retiro, Samuel Antunes disse que, apesar de o passado ser “inalterável”, no presente as pessoas podem e devem “decidir o que fazer”, uma atitude que afeta o futuro, um tempo que, por isso mesmo, “carrega as consequências das escolhas do passado”.

O pregador alertava os jovens quanto ao facto de chegar um momento em que cada um terá de tomar decisões. “A vontade de Deus é que a tua vida cristã seja constante”, que cada um viva “em obediência à Sua Palavra”, para que, quando chegar “um dia mau”, ou seja, “dias de dificuldades”, cada cristão possa “estar revestido da armadura de Deus” e resistir a esses obstáculos e lidar com as adversidades.

“O que estamos a fazer com a nossa vida”, questionou, incitando a que cada um não deixe de fazer a vontade de Deus por acanhamento. Obedecer e fazer a vontade de Deus, continuou, “é fazer algo independente da nossa vontade”, acrescentando que na base da fé “estão as coisas que ainda não se viram”. Se, frisa, “queremos fazer a vontade de Deus para a nossa vida, temos que começar por fazer o que Ele manda”, realçando que “o caminho para a perfeição não pode ser feito sozinho”, referindo-se ao facto de o crente precisar de “andar na presença de Deus”.

“O nosso sucesso vem da nossa obediência à vontade de Deus”, afirmou Samuel Antunes, argumentando que Ele é “perfeito no agir, nos Seus propósitos e em amor”.

Segundo defendeu o pregador, a pirâmide de um jovem crente deve ter na base a aposta num relacionamento pessoal com Deus, que pode ser concretizado pela oração, por uma vivência que Lhe agrade, pelo revestimento do Espírito Santo; sendo o estudo da Palavra de Deus um outro pilar dessa pirâmide; e o terceiro pilar consiste na vivência do que o crente conhece. E, no final de tudo, é importante que o crente esteja vigilante e “transmita uma boa imagem”, podendo ser uma referência para os outros.

“Tu podes usar o teu risco para ser uma bênção nas mãos de Deus. A decisão está no teu coração”, finalizou Samuel Antunes.