Detalhe Notícia

04-07-2017
Templo de Aveiro celebra 30 anos

A Assembleia de Deus Pentecostal de Aveiro celebrou, no passado dia 18 de Junho, 30 anos desde que inaugurou o templo actual. Tal como há 30 anos atrás, o clima que se viveu no templo foi de festa. E, tal como na altura, as autoridades locais também estiveram presentes para assinalar o momento.

Fernando Marques, presidente da Junta de Freguesia da Glória e Vera Cruz, afirmou-se “satisfeito” por estar presente nesta ocasião importante. “Estou aqui com satisfação, porque aqui sinto-me bem e viria mesmo sem ser convidado”, disse. Lembrou que também ele começou a sua “carreira” como autarca há cerca de três décadas. “Fizemos uma caminhada semelhante, vocês na vossa fé e eu nas responsabilidades das minhas funções”, assinalou Fernando Marques.

Em jeito de agradecimento, Jacinto Joana, pastor presidente da Assembleia de Deus de Aveiro, presenteou o convidado com uma medalha comemorativa dos 30 anos da abertura do templo, bem como com uma caneta, que, além da efeméride, pretende marcar os 50 anos do coral de Aveiro.

E porque é de aniversário que falamos – 30 anos de inauguração do templo e 50 anos do coral – não poderiam faltar os parabéns. Perante todos os que, há 30 anos, entraram pela primeira vez no templo de Aveiro, que ficaram de pé, a igreja entoou os clássicos “parabéns a você”.

Em momento de celebração, foram homenageados, como elementos do ministério da igreja presentes na altura do inauguração do tempo, há 30 anos, os presbíteros José Parreira e Francisco Marques e a sua esposa, bem como o pastor Moutinho, a título póstumo, com a atribuição da medalha comemorativa da efeméride. Esta última, bem como um ramo de flores, foram entregues, posteriormente, a Rosa Moutinho, que não esteve presente por motivos de saúde.

Francisco Marques aproveitou a ocasião para lembrar “as lutas” e dificuldades vividas para construir o templo, desde um herdeiro que, no último momento, não concordava com a venda do terreno, passando por um empreiteiro que fugiu com o sinal em dinheiro fornecido para a obra. Mas, agora, 30 anos depois, o presbítero sublinha que apesar as dificuldades, o templo foi construído e “tem sido uma bênção”.

 

Meio século do coral de Aveiro

Assinalando os 50 anos do coral de Aveiro, foi distribuído aos actuais membros deste grupo uma fotografia do coral. O actual dirigente, presbítero Artur Bento, aproveitou a ocasião para agradecer o empenho e dedicação de todos os anteriores elementos directivos do coro, bem como a todos quantos deram a sua voz, talento e dedicação ao grupo ao longo dos anos.

Jacinto Joana lembrou que o dia tinha sido de festa, que se estava a “viver um tempo muito especial”, mas que o mais importante é Jesus. Desafiou os irmãos na fé que, entretanto, se afastaram que regressassem, bem como incitou os demais presentes que ainda não tenham entregado a sua vida a Jesus que o fizessem, pois “é o momento aceitável, o momento certo”. E o repto foi aceite e uma vida entregou-se a Jesus.

A festa terminou no melhor e mais sentido momento: com uma senhora a arrepender-se e a entregar-se a Jesus. Porque este é a altura certa para o fazer. A decisão tem de ser tomada.

Porque, tal como João Tomaz Parreira afirmou num poema lido à igreja, “a qualquer hora da noite nos levantaremos/ a qualquer hora dia, subiremos de repente/ pelo algodão das nuvens/ e a casa de oração fechará as suas portas”.